quinta-feira, 5 de março de 2009

9º ANO (8ªSÉRIE) - TEXTO - O NÃO, O SIM E A FELICIDADE

Conforme combinado seguem as questões para serem respondidas e postadas até dia 10/03/2009 às 16h


Bom trabalho a todos.


1-) O texto põe em discussão a mudança de atitudes e valores que ocorreu nas últimas décadas, opondo duas gerações: a geração de quarenta anos atrás, quando o narrador era jovem, e a geração dos jovens de hoje.
Observe o título do texto. Qual é a geração do "sim" e qual é a do "não"?


2-) Nos primeiros parágrafos do texto, o autor descreve como era a educação familiar no passado. Nos parágrafos seguintes, compara-a com a educação atual. Comente as diferenças nas situações vividas pelos jovens quanto aos seguintes aspectos:

a-) horário para voltar e acesso a casa após saídas à noite;

b-) dinheiro dado pelos pais;

c-) consumo de coisas proibidas, como cigarro;

d-) forma de tratar os pais;

e-) uso de palavrões na linguagem.


3-) Segundo o narrador, no passado o relacionamento entre pais e filhos era difícil e autoritário, e o jovem tinha pouca liberdade. Apesar disso, o narrador, hoje, não vê apenas o lado negativo daquele tipo de relacionamento. Releia estes trechos:

• "Totalitarismo? Em parte sim, em parte não." (6º parágrafo)

• "Era ruim para nós? Era. Uma camisa-de-força, um cerco apertado constituído por nãos. Era bom? Era." (7° pará­grafo)

De acordo com as idéias gerais do texto, explique:

a-) Por que era ruim aquele tipo de educação familiar?

b-) E por que era bom?


4-) Muitas vezes, o não gerava a mentira e a hipocrisia.

a-) Com que finalidade se mentia naquela época?

b-) Nesse contexto, mentir era bom ou ruim?


5-) Segundo o texto, os jovens de hoje sabem de muitas coisas e "perguntam para os pais e professores coisas que fariam um jovem — não de 13, mas de 18 — ser expulso de casa no nosso tempo (ao menos, espera-se que não cometam erros infantis)".

Levante hipóteses: O que possivelmente são, para o narrador, "erros infantis"?


6-) No penúltimo parágrafo, o narrador opõe as angústias dos jovens de antes às dos jovens de hoje e afirma que, no passado, essas angústias eram mais bem definidas e concretas. Por que o narrador vê as angústias dos jovens atuais como mais complexas que as dos jovens do passado?


7-) No mesmo parágrafo, o narrador afirma que o futuro era a grande preocupação dos jovens: "Vão dar certo nossos sonhos? Era a grande pergunta, porque havia sonhos".

a-) Qual é o ponto de vista do narrador a respeito dos sonhos dos jovens atuais?

b-) Em contraposição aos sonhos, alimentados pela geração de antes, qual é o projeto da geração atual, segundo o narrador?

c-) Comparada à geração atual, que qualidade o narrador vê nos jovens da sua geração?


8-) Para o narrador, "confundiu-se liberdade com permissividade". Qual é a diferença entre elas?


9-) Ao afirmar "O não que nos traumatizou, nos conduziu a dizer um sim complexo para nossos filhos", o narrador revela estar seguro ou inseguro quanto ao modo como os pais de hoje têm educado os filhos?


10-) O texto põe em discussão duas formas de educar os filhos e, em vez de apresentar respostas na sua conclusão, termina com perguntas: "Uma geração teve o não. A outra teve o sim. Somos felizes? Nossos filhos serão?”.

a-) O narrador deixa clara sua posição sobre qual a melhor maneira de educar os jovens?

b-) O fato de o texto ser encerrado com perguntas confirma ou nega sua resposta anterior?

c-) Observe o título do texto. De acordo com as idéias gerais apresentadas pelo narrador, que sentido ele tem.

11 comentários:

Luís Felipe disse...

Luís Felipe G. Molina:

1) A geração do não é a de quarenta anos atrás e a do sim dos dias de hoje.

2.a) Antigamente se voltava no máximo as 10h da noite e não se tinha chave de casa, já atualmente se volta a 1h da manhã e reclamando que é muito cedo e todos os jovens tem a chave de casa.
2.b) Antigamente o dinheiro era dado raramente pelos pais pra se comprar um sanduíche e já hoje em dia não se tem limites de dinheiro.
2.c) Antigamente os pais que pegavam os filhos fumando batiam neles já atualmente dão o cigarro a eles.
2.d) Antigamente era senhor alguns raramente usavam o você, tinham que beijar as mãos e pedir benção, mas hoje chamam os pais de você para todo lado.
2.e) Antigamente palavrões era para pessoas mal-educadas, hoje qualquer jovem fala.

3.a) Por que o jovem não tinha muita liberdade.
3.b) Era bom pois assim ele podia seguir o “caminho certo” e não tomar o “errado” com a facilidade de hoje.

4.a) Se mentiria para poder ficar mais em uma festa ou poder sair com a namorada.
4.b) Era bom, pois essa mentira encobriria um fato que não é grave.

5) São assuntos que com a falta de liberdade de antigamente não se poderia perguntar nem para os pais nem para os professores.

6) Porque hoje se confundiu liberdade com permissividade e os jovens desconhecem os “nãos”. Já que suas angustias são abstratas, metafísicas, sem soluções, porque indefinidas, tênues.

7.a) Os jovens de hoje tem tudo, portanto não tem um ideal para alcançar, uma utopia.
7.b) Eles estão soltos no mundo, perdidos, sem condução, sem que alguém de algum conselho á eles.
7.c) Eles tinham algum motivo porque lutar, sem serem soltos no mundo como os de hoje.

8) Liberdade é a pessoa agir conforme sua determinação e permissividade é achar que podem tudo.

9) Inseguro, já que porque antigamente não gostavam de receber um “não” atualmente dizem “sim” para seus filhos.

10.a) Não, ele “deixa no ar” qual das maneiras irá se dar melhor na vida.
10.b) Confirma, já que a indagação não significa uma conclusão.
10.c) O título quer dizer qual geração alcançará a felicidade, a que teve imposição da vontade dos pais ou a permissividade deles.

Maria Fernanda Nunes Lucio disse...

1. O sim é a de hoje, porque hoje até as meninas de 13 anos saem e chegam tarde em casa.
E a do não é a de antigamente porque os garotos de 18 anos tinham que chegar em casa dez paras dez.


2.a)Antigamente o horário de voltar pra casa dos meninos de 18 anos era dez pras dez da noite.
E os de hoje as meninas de 13 anos não tem nem horários para chegar em casa.

b)Antigamente não se tinha mesada era dado hum dinheiro de vez em quando para comprar um lanche.
E hoje tem a mesada.

c)Antigamente se o pai encontrasse o filho de 21 anos fumando na esquina levava um tapa na boca.
Hoje as meninas de 13 anos pedem um cigarro para o pai para experimentar eles dão.

d)Antigamente se cumprimentada pedindo a benção e beijando a mão.
Hoje não tem isso mais.

e)Antigamente era coisa de rua, de gente desclassificada, de marginal, de filho de lavadeira.
E hoje é natural.


3.a)Era ruim porque os meninos de 18 anos tinham hora para chegar em casa.

b)Era bom porque os filhos tinham respeito pelos pais e pelas pessoas mais velhas e tinham mais educação uns com os outros.


4.a)As pessoas chegavam a mentir para fugirem um pouco do autoritarismo da época.

b)Nem bom nem ruim, talvez necessário, para as pessoas terem um pouco mais de liberdade.


5.Nos tempos de hoje se tem liberdade suficiente para conversar com os pais sobre todos os assuntos, mas mesmo assim comentem erros infantis de mentir.

6.Talvez pela falta do não, porque com tanta liberdade e ao mesmo tempo com tanta
proteção faz com que se tornam jovens indecisos e até mesmo sem limites.

8.Liberdade é a independência, a autonomia. E permissividade é a pessoa que dá permissão, tolerante e indulgente.


9.Inseguro, porque através do sim os jovens confundiram a liberdade com permissividade, e se tornaram jovens mais angustiados do que os de antes.

10.a) Sim a de antigamente.

b)Confirma.

c)De nos mostrar que nem sempre o não necessariamente era causa da infelicidade da mesma forma que os sim nem sempre é a causa da felicidade.

Giovana Queiroz disse...

1) A geração do "sim" é a que vivemos hoje, e a do " não" é a de quarenta anos atrás.


2) A)O horários de voltar para casa antigamente aos 18 anos era 10 hras, hoje em dia aos 13 anos é 1 hora da manhã.

B) Antigamente os pais, davam dinehro apenas para um refrigerante ou um sanduiche , e mesmo assim de vez em quando , hoje os filhos recebem mesadas semanais, e dinhero quando querem.

C)Hoje eles podem namorar, gastarem o quanto quiserem pedir cigarro até mesmo para os pais.

D)Antigamente ninguem contestava com as coisas que os pais falavam, eles favam e pronto, hoje em dia não flhos contestavam , ainda saiem ganhando.

E)Antes quem fala palavroes, era coisa de menino de rua, filhos de lavaderiras,marginal, hoje não é comum todos farem.

3)A)Porque os jovens naõ tnham direito de fazer nada, tudo muito comandado pelos pais .

B)Era bom porque eles não desobedeciam , não faziam coisas erradas, não iam pelo caminho errado .

4)a) Para chegar mais tarde em casa.
b) Era bom.

5)Erros bobos, que não precisam ser cometidos.

6)


7)A- Que eles naõ preocupan tanto com o futuro.

B)

C)


8) que confudiram liberdade , com deixar os jovens fazer tudo que querem.

9)Inseguro, pois deixam eles fazerem tudo .

10)A)Não.

B)Confirma.

C)

Arthur Freitas" disse...

1-) O texto põe em discussão a mudança de atitudes e valores que ocorreu nas últimas décadas, opondo duas gerações: a geração de quarenta anos atrás, quando o narrador era jovem, e a geração dos jovens de hoje.
Observe o título do texto. Qual é a geração do "sim" e qual é a do "não"?
A geração do sim é as dos jovens de hoje e as do não é as dos jovens de antigamente.
2-) Nos primeiros parágrafos do texto, o autor descreve como era a educação familiar no passado. Nos parágrafos seguintes, compara-a com a educação atual. Comente as diferenças nas situações vividas pelos jovens quanto aos seguintes aspectos:
a-) horário para voltar e acesso a casa após saídas à noite;
Uma hora da madrugada.
b-) dinheiro dado pelos pais;
É dado em forma de mesada.
c-) consumo de coisas proibidas, como cigarro;
Pedem aos pais, e eles dá.
d-) forma de tratar os pais;
Os jovens que mandam nos pais e tinha que ser ao contrário.
e-) uso de palavrões na linguagem.
Eles usam palavrões até com os pais.
3-) Segundo o narrador, no passado o relacionamento entre pais e filhos era difícil e autoritário, e o jovem tinha pouca liberdade. Apesar disso, o narrador, hoje, não vê apenas o lado negativo daquele tipo de relacionamento. Releia estes trechos:
• "Totalitarismo? Em parte sim, em parte não." (6º parágrafo)
• "Era ruim para nós? Era. Uma camisa-de-força, um cerco apertado constituído por nãos. Era bom? Era." (7° pará¬grafo)
De acordo com as idéias gerais do texto, explique:
a-) Por que era ruim aquele tipo de educação familiar?
Porque eles tinham que preso, trabalhando.
b-) E por que era bom?
Porque eles tinham sonhos, e faziam só as coisas boas.
4-) Muitas vezes, o não gerava a mentira e a hipocrisia.
a-) Com que finalidade se mentia naquela época?
Para poder chegar mais tarde em casa.
b-) Nesse contexto, mentir era bom ou ruim?
Naquela era bom.
5-) Segundo o texto, os jovens de hoje sabem de muitas coisas e "perguntam para os pais e professores coisas que fariam um jovem — não de 13, mas de 18 — ser expulso de casa no nosso tempo (ao menos, espera-se que não cometam erros infantis)".
Levante hipóteses: O que possivelmente são, para o narrador, "erros infantis"?
Em minha opinião é isso vem acontecendo devido as falta de limitações dos pais.
6-) No penúltimo parágrafo, o narrador opõe as angústias dos jovens de antes às dos jovens de hoje e afirma que, no passado, essas angústias eram mais bem definidas e concretas. Por que o narrador vê as angústias dos jovens atuais como mais complexas que as dos jovens do passado?
Porque eles não acreditavam que os jovens atuais que os jovens atuais não incomodam eles.
7-) No mesmo parágrafo, o narrador afirma que o futuro era a grande preocupação dos jovens: "Vão dar certo nossos sonhos? Era a grande pergunta, porque havia sonhos".
a-) Qual é o ponto de vista do narrador a respeito dos sonhos dos jovens atuais?
Que eles não estão tendo mais esses sonhos.
b-) Em contraposição aos sonhos, alimentados pela geração de antes, qual é o projeto da geração atual, segundo o narrador?
Ser alguém na vida.
c-) Comparada à geração atual, que qualidade o narrador vê nos jovens da sua geração?
Muitas diferenças.
8-) Para o narrador, "confundiu-se liberdade com permissividade". Qual é a diferença entre elas?
Liberdade é pessoa livre e permissividade tem que ser permitido.
9-) Ao afirmar "O não que nos traumatizou, nos conduziu a dizer um sim complexo para nossos filhos", o narrador revela estar seguro ou inseguro quanto ao modo como os pais de hoje têm educado os filhos?
Está seguro.
10-) O texto põe em discussão duas formas de educar os filhos e, em vez de apresentar respostas na sua conclusão, termina com perguntas: "Uma geração teve o não. A outra teve o sim. Somos felizes? Nossos filhos serão?”.
a-) O narrador deixa clara sua posição sobre qual a melhor maneira de educar os jovens?
Sim
b-) O fato de o texto ser encerrado com perguntas confirma ou nega sua resposta anterior?
Confirma.
c-) Observe o título do texto. De acordo com as idéias gerais apresentadas pelo narrador, que sentido ele tem.
Da maneira que os jovens foram educados.

Letícia disse...

1-) A geração do sim é a de quando o narrador era jove(40 anos atrás), a geração do sim é dos jovens atuais.

2-)

a-) horário para voltar e acesso a casa após saídas à noite;
Antigamente>tinha-se que chegar 9h50min para não se correr o risco do relógio do pai estar adiantado pois horário de chegar em casa era as 10h da noite.Havia permissões para se ficar até mais tarde porém eram raras.
Atualmente>os filhos chegam tarde em casa e a maioria têm a chave de casa.

b-) dinheiro dado pelos pais;
Antigamente>os pais davam um dinheiro de vez em quando para um refrigerante,um sanduíche.
Atualmente>a maioria tem mesadas semanais.

c-) consumo de coisas proibidas, como cigarro;
Antigamente>Filhos de 21 anos que os pais pegavam fumando ,levavam tapa na boca.
Atualmente>Os filhos pedem ao pai cigarro para experimentar e os pais deixam.

d-) forma de tratar os pais;
Antigamente>As relações de pais e filhos eram mistos de respeito e terror.
Atualmente>Os filhos respondem o pai, tratando eles com falta de respeito.
e-) uso de palavrões na linguagem.
Antigamente> Não se aceitava que os filhos falassem palavrões.Palavrão era coisa de rua,de gente desclassificada,de marginal,de filho de lavadeira.
Atualmente>Os pais não se importam quando escutam os filhos falando palavrões.

3-)a-) Por que era ruim aquele tipo de educação familiar?
Pois os jovens não tinham liberdade.
b-) E por que era bom?
Pois daquele geito os jovens aprendiam como era a vida,uma camisa-de-força, composta por um conjunto de nãos.

4-)


5-) Segundo o texto, os jovens de hoje sabem de muitas coisas e "perguntam para os pais e professores coisas que fariam um jovem — não de 13, mas de 18 — ser expulso de casa no nosso tempo (ao menos, espera-se que não cometam erros infantis)".

Levante hipóteses: O que possivelmente são, para o narrador, "erros infantis"?


6-) Pois as angústias de hoje são abstratas, metafísicas,sem soluções,indefinidas.


8-) Para o narrador, "confundiu-se liberdade com permissividade". Qual é a diferença entre elas?


9-) O narrador revela estar inseguro quanto ao modo dos pais de hoje educarem os filhos.

10-) O texto põe em discussão duas formas de educar os filhos e, em vez de apresentar respostas na sua conclusão, termina com perguntas: "Uma geração teve o não. A outra teve o sim. Somos felizes? Nossos filhos serão?”.

a-) O narrador deixa clara sua posição sobre qual a melhor maneira de educar os jovens?
Não
b-) O fato de o texto ser encerrado com perguntas confirma ou nega sua resposta anterior?

c-) Observe o título do texto. De acordo com as idéias gerais apresentadas pelo narrador, que sentido ele tem.
O jovem de antigamente tinha sonhos,os jovens de hoje tem apenas projetos que não se realizam.

Estéfany E Igor disse...

1- Sim é a de hoje , e a do Não é a das ultimas geraçoes.
2-
a; o menino antigamente tinha que voltar cedo e a menina atual marcava um horario já tarde, e quando era recolhida pelos pais, ainda reclamava do horario.
b;o menino antigamente recebia dinheiro só para o lanche e atualmente recebia semanal
c;o menino antigamente, nada a retratar,atualmente experimentava cigarros sendo conduzida pelos pais.
d;o menino antigamente de senhor com educação e atualmende você
e; antigamente era coisa de marginal palavrões, atualmente ja é 'quase normal'
3-
a;porque eles abusavam muito da autoridade
b; porque a educação deles era e hoje se ver pessoas dessa geração ainda são super educados
4-
a; porque eles não aguentavam mais serem 'robos dos pais'
b;era ruim , quefez eles crescerem complexados, e dizer muitos Sim aos filhos atuais
5-coisas que não puderam fazer e tinham vontade de fazer nem se for por cima das regras dos pais
6- porque os antigos falam um sim mais facil para os filhos atuais , por ter sentido como eram antes sem 'ser feliz'

Régis disse...

1-) O texto põe em discussão a mudança de atitudes e valores que ocorreu nas últimas décadas, opondo duas gerações: a geração de quarenta anos atrás, quando o narrador era jovem, e a geração dos jovens de hoje.
Observe o título do texto. Qual é a geração do "sim" e qual é a do "não"?
A geração do não e a geração dos jovens de antigamente,e a geração do sim é a geração de hoje em dia.

2-) Nos primeiros parágrafos do texto, o autor descreve como era a educação familiar no passado. Nos parágrafos seguintes, compara-a com a educação atual. Comente as diferenças nas situações vividas pelos jovens quanto aos seguintes aspectos:

a-) horário para voltar e acesso a casa após saídas à noite;
Antigamente os jovens tinham uma hora certa para chegar em casa , se chegassem após o horário exigido pelo pai, encontravam a porta trancada.E hoje em dia é totalmente ao contrário, os jovens chegam a hora q querem, e podem entrar em casa sem problemas, pois tem as chaves de casa.
b-) dinheiro dado pelos pais;
Na juventude antiga os jovens ganhavam alguns trocados para comprarem um lanche uma vez ou outra.Os jovens de hoje em dia ganham mesadas semanais.
c-) consumo de coisas proibidas, como cigarro;
Antigamente se o pai encontrasse o filho fumando ou fazendo coisas erradas eles batiam e repreendiam, hoje, ou eles não falam nada ou fazem de conta q não estão vendo para não terem q falar NÃO.
d-) forma de tratar os pais;
Os filhos eram ensinados a pedir a benção dos pais, chamavam eles de senhor e senhora em sinal de respeito, os jovens de hoje chamam os pais de “VOCÊ” e às vezes são mau educados, não aceitando a opinião dos pais.
e-) uso de palavrões na linguagem.
Falar palavrão antigamente era coisa de rua, de gente desclassificada e de marginal, atualmente, até de brincadeira, os jovens falam algum palavrão.

3-) Segundo o narrador, no passado o relacionamento entre pais e filhos era difícil e autoritário, e o jovem tinha pouca liberdade. Apesar disso, o narrador, hoje, não vê apenas o lado negativo daquele tipo de relacionamento. Releia estes trechos:

• "Totalitarismo? Em parte sim, em parte não." (6º parágrafo)
O jovem tinha pouca liberdade, saia pouco de casa porque os pai eram mais autoritários e os filhos não podiam escolher o que queriam fazer. O narrador vê que havia civilização e respeito por quem os colocou no mundo.
• "Era ruim para nós? Era. Uma camisa-de-força, um cerco apertado constituído por nãos. Era bom? Era." (7° pará¬grafo)

De acordo com as idéias gerais do texto, explique:

a-) Por que era ruim aquele tipo de educação familiar?
Porque eles não tinham liberdade para quase nada.
b-) E por que era bom?
Porque eles aprendiam que ali os pais evitavam que eles cometessem erros com aquela “camisa de força”, composta de nãos

4-) Muitas vezes, o não gerava a mentira e a hipocrisia.

a-) Com que finalidade se mentia naquela época?
Eles mentiam para driblar e superar os nãos daquela época.
b-) Nesse contexto, mentir era bom ou ruim?
Mentir é ruim de qualquer jeito, mas era uma forma de aprender a driblar também os nãos que a vida tem.

5-) Segundo o texto, os jovens de hoje sabem de muitas coisas e "perguntam para os pais e professores coisas que fariam um jovem — não de 13, mas de 18 — ser expulso de casa no nosso tempo (ao menos, espera-se que não cometam erros infantis)".

Levante hipóteses: O que possivelmente são, para o narrador, "erros infantis"?
Erros como uso de drogas por curiosidade, sexo sem prevenção, doenças que pegam por falta de preservativo, uso de seringas e objetos contagiosos.

6-) No penúltimo parágrafo, o narrador opõe as angústias dos jovens de antes às dos jovens de hoje e afirma que, no passado, essas angústias eram mais bem definidas e concretas. Por que o narrador vê as angústias dos jovens atuais como mais complexas que as dos jovens do passado?
Porque os jovens do passado se preocupavam com o futuro que eles teriam, com o trabalho, com os sonhos que eles tinham por uma vida melhor e produtiva. Hoje os jovens dão muito valor em status, dinheiro,diversão, isso é que deixam eles angustiados

7-) No mesmo parágrafo, o narrador afirma que o futuro era a grande preocupação dos jovens: "Vão dar certo nossos sonhos? Era a grande pergunta, porque havia sonhos".

a-) Qual é o ponto de vista do narrador a respeito dos sonhos dos jovens atuais? O narrador fala que nem existem sonhos, o que se quer é dinheiro, status e vida confortável.
b-) Em contraposição aos sonhos, alimentados pela geração de antes, qual é o projeto da geração atual, segundo o narrador?
A geração atual está perdida, sem condução, soltos na vida
c-) Comparada à geração atual, que qualidade o narrador vê nos jovens da sua geração?
Ele diz que o não que ele recebeu serviu para não deixar que ele caísse na areia movediça, e que a geração dele conseguiu ter mais responsabilidade.

8- Liberdade é quando você faz as coisas com consciência e responsabilidade e permissividade é fazer tudo que se quer sem pensar nas conseqüências.
9- Inseguro, porque com os pais sendo tão permissivos os jovens acabam fazendo besteiras e cometendo erros infantis.
10 A A melhor maneira de educar os filhos é como eles foram educados 40 anos atrás, com não e com mais limites.

10 B Confirma a resposta anterior.

10 C Ele tem a intenção de dar uma sugestão para os pais educarem seus filhos, de não serem tão rígidos e nem permitir tudo que os filhos pensam que está certo fazer, para que eles consigam ser felizes sempre.

Régis Garrido Barbosa

Gustangola disse...

1-) O texto põe em discussão a mudança de atitudes e valores que ocorreu nas últimas décadas, opondo duas gerações: a geração de quarenta anos atrás, quando o narrador era jovem, e a geração dos jovens de hoje.
Observe o título do texto. Qual é a geração do "sim" e qual é a do "não"?
A geração do “sim” leva ao descontrole do filho e a geração “não” leva ao controle do filho.
2-) Nos primeiros parágrafos do texto, o autor descreve como era a educação familiar no passado. Nos parágrafos seguintes, compara-a com a educação atual. Comente as diferenças nas situações vividas pelos jovens quanto aos seguintes aspectos:

a-) horário para voltar e acesso a casa após saídas à noite;
Antigamente os jovens tinham que voltar as 10 horas em ponto
b-) dinheiro dado pelos pais;
O dinheiro dado pelos pais era para comer um sanduíche ou beber um refrigerante
c-) consumo de coisas proibidas, como cigarro,
Tantos jovens levaram tapa na boca porque o pai ao virar a esquina deu com o filho de 21 anos fumando
d-) forma de tratar os pais;
A relações entre pais e filhos eram mistos de respeito e terror, ninguém chamava o pai de você, a não ser um ou outro colega, invejado
e-) uso de palavrões na linguagem.
coisa de rua, de gente desclassificada, de marginal, de filho de lavadeira
3-)Segundo o narrador, no passado o relacionamento entre pais e filhos era difícil e autoritário, e o jovem tinha pouca liberdade. Apesar disso, o narrador, hoje, não vê apenas o lado negativo daquele tipo de relacionamento. Releia estes trechos:

• "Totalitarismo? Em parte sim, em parte não." (6º parágrafo)

• "Era ruim para nós? Era. Uma camisa-de-força, um cerco apertado constituído por nãos. Era bom? Era." (7° pará¬grafo)

De acordo com as idéias gerais do texto, explique:

a-) Por que era ruim aquele tipo de educação familiar?
Porque os filhos não tinham muita liberdade para fazer o que queriam.
b-) E por que era bom?
Para prevenir eles das drogas
4-) Muitas vezes, o não gerava a mentira e a hipocrisia.
Eles mentiam para conseguir o que querem
a-) Com que finalidade se mentia naquela época?
Para conseguir o que queriam sem os pais saberem
b-) Nesse contexto, mentir era bom ou ruim?
Era ruim pois eles apanhavam
5-) Segundo o texto, os jovens de hoje sabem de muitas coisas e "perguntam para os pais e professores coisas que fariam um jovem — não de 13, mas de 18 — ser expulso de casa no nosso tempo (ao menos, espera-se que não cometam erros infantis)".

Levante hipóteses: O que possivelmente são, para o narrador, "erros infantis"?
Perguntar sobre sexo e namoro

6-) No penúltimo parágrafo, o narrador opõe as angústias dos jovens de antes às dos jovens de hoje e afirma que, no passado, essas angústias eram mais bem definidas e concretas. Por que o narrador vê as angústias dos jovens atuais como mais complexas que as dos jovens do passado?
Porque os jovens do passado respeitavam os pais e os de hoje não respeitam

7-) No mesmo parágrafo, o narrador afirma que o futuro era a grande preocupação dos jovens: "Vão dar certo nossos sonhos? Era a grande pergunta, porque havia sonhos".

a-) Qual é o ponto de vista do narrador a respeito dos sonhos dos jovens atuais?
O sonho dos jovens de hoje é ganhar muito dinheiro
b-) Em contraposição aos sonhos, alimentados pela geração de antes, qual é o projeto da geração atual, segundo o narrador?
Pessoas mais atualizadas
c-) Comparada à geração atual, que qualidade o narrador vê nos jovens da sua geração?
Eles não dão ouvidos ao que os pais dizem

8-) Para o narrador, "confundiu-se liberdade com permissividade". Qual é a diferença entre elas?
Liberdade você faz o que quiser da vida e permissividade você tem permissão pra fazer tal coisa

9-) Ao afirmar "O não que nos traumatizou, nos conduziu a dizer um sim complexo para nossos filhos", o narrador revela estar seguro ou inseguro quanto ao modo como os pais de hoje têm educado os filhos?
Inseguro

10-) O texto põe em discussão duas formas de educar os filhos e, em vez de apresentar respostas na sua conclusão, termina com perguntas: "Uma geração teve o não. A outra teve o sim. Somos felizes? Nossos filhos serão?”.

a-) O narrador deixa clara sua posição sobre qual a melhor maneira de educar os jovens?
Não
b-) O fato de o texto ser encerrado com perguntas confirma ou nega sua resposta anterior?
Sim
c-) Observe o título do texto. De acordo com as idéias gerais apresentadas pelo narrador, que sentido ele tem.
Que não se deve dizer nem muito “sim” nem muito “não”

Gustavo Lima

kleyton disse...

1-) O texto põe em discussão a mudança de atitudes e valores que ocorreu nas últimas décadas, opondo duas gerações: a geração de quarenta anos atrás, quando o narrador era jovem, e a geração dos jovens de hoje.
Observe o título do texto. Qual é a geração do "sim" e qual é a do "não"?
A geração do “sim” leva ao descontrole do filho e a geração “não” leva ao controle do filho.
2-) Nos primeiros parágrafos do texto, o autor descreve como era a educação familiar no passado. Nos parágrafos seguintes, compara-a com a educação atual. Comente as diferenças nas situações vividas pelos jovens quanto aos seguintes aspectos:

a-) horário para voltar e acesso a casa após saídas à noite;
Antigamente os jovens tinham que voltar as 10 horas em ponto
b-) dinheiro dado pelos pais;
O dinheiro dado pelos pais era para comer um sanduíche ou beber um refrigerante
c-) consumo de coisas proibidas, como cigarro,
Tantos jovens levaram tapa na boca porque o pai ao virar a esquina deu com o filho de 21 anos fumando
d-) forma de tratar os pais;
A relações entre pais e filhos eram mistos de respeito e terror, ninguém chamava o pai de você, a não ser um ou outro colega, invejado
e-) uso de palavrões na linguagem.
coisa de rua, de gente desclassificada, de marginal, de filho de lavadeira
3-)Segundo o narrador, no passado o relacionamento entre pais e filhos era difícil e autoritário, e o jovem tinha pouca liberdade. Apesar disso, o narrador, hoje, não vê apenas o lado negativo daquele tipo de relacionamento. Releia estes trechos:

• "Totalitarismo? Em parte sim, em parte não." (6º parágrafo)

• "Era ruim para nós? Era. Uma camisa-de-força, um cerco apertado constituído por nãos. Era bom? Era." (7° pará¬grafo)

De acordo com as idéias gerais do texto, explique:

a-) Por que era ruim aquele tipo de educação familiar?
Porque os filhos não tinham muita liberdade para fazer o que queriam.
b-) E por que era bom?
Para prevenir eles das drogas
4-) Muitas vezes, o não gerava a mentira e a hipocrisia.
Eles mentiam para conseguir o que querem
a-) Com que finalidade se mentia naquela época?
Para conseguir o que queriam sem os pais saberem
b-) Nesse contexto, mentir era bom ou ruim?
Era ruim pois eles apanhavam
5-) Segundo o texto, os jovens de hoje sabem de muitas coisas e "perguntam para os pais e professores coisas que fariam um jovem — não de 13, mas de 18 — ser expulso de casa no nosso tempo (ao menos, espera-se que não cometam erros infantis)".

Levante hipóteses: O que possivelmente são, para o narrador, "erros infantis"?
Perguntar sobre sexo e namoro

6-) No penúltimo parágrafo, o narrador opõe as angústias dos jovens de antes às dos jovens de hoje e afirma que, no passado, essas angústias eram mais bem definidas e concretas. Por que o narrador vê as angústias dos jovens atuais como mais complexas que as dos jovens do passado?
Porque os jovens do passado respeitavam os pais e os de hoje não respeitam

7-) No mesmo parágrafo, o narrador afirma que o futuro era a grande preocupação dos jovens: "Vão dar certo nossos sonhos? Era a grande pergunta, porque havia sonhos".

a-) Qual é o ponto de vista do narrador a respeito dos sonhos dos jovens atuais?
O sonho dos jovens de hoje é ganhar muito dinheiro
b-) Em contraposição aos sonhos, alimentados pela geração de antes, qual é o projeto da geração atual, segundo o narrador?
Pessoas mais atualizadas
c-) Comparada à geração atual, que qualidade o narrador vê nos jovens da sua geração?
Eles não dão ouvidos ao que os pais dizem

8-) Para o narrador, "confundiu-se liberdade com permissividade". Qual é a diferença entre elas?
Liberdade você faz o que quiser da vida e permissividade você tem permissão pra fazer tal coisa

9-) Ao afirmar "O não que nos traumatizou, nos conduziu a dizer um sim complexo para nossos filhos", o narrador revela estar seguro ou inseguro quanto ao modo como os pais de hoje têm educado os filhos?
Inseguro

10-) O texto põe em discussão duas formas de educar os filhos e, em vez de apresentar respostas na sua conclusão, termina com perguntas: "Uma geração teve o não. A outra teve o sim. Somos felizes? Nossos filhos serão?”.

a-) O narrador deixa clara sua posição sobre qual a melhor maneira de educar os jovens?
Não
b-) O fato de o texto ser encerrado com perguntas confirma ou nega sua resposta anterior?
Sim
c-) Observe o título do texto. De acordo com as idéias gerais apresentadas pelo narrador, que sentido ele tem.
Que não se deve dizer nem muito “sim” nem muito “não”

Kleyton Henrique Alves

Gabriel Osaki Queiroz Urzedo disse...

1) O sim está relacionado à permissão que os pais de hoje dão aos filhos,e o não se refere à não permissão que os pais de antigamente davam aos seus filhos


2) a)Hoje em dia voltam de madrugada,os de antigamente voltavam ás 10 no máximo

b)Antigamente dava-se muito pouco dinheiro só para um lanche,hoje em dia dá-se mesada semanalmente

c)Antes não podia de maneira alguma,hoje eles experimentam dos próprios pais

d)Antigamente tratava-se os pais com muito respeito e chamava-se de senhor,já hoje em dia os filhos é quem mandam praticamente

e)Antigamente não se usava, hoje usa-se regularmente

3)a) Era ruim pois isso criou-se uma raiva dos jovens daquela época, que por causa disso tornaram-se pais liberais
b)Era bom pois mostrava ao filho as dificuldades da vida,impunha respeito,formava uma pessoa direita

4) a)Na finalidade de esconder coisas dos pais,como fumar por exemplo

5) Eu acho que esses tais erros eram como por exemplo se embebedar e vagar pela cidade feito um mendigo,fugir de casa...

6) Porque as angustias dos jovens atuais é de se sentirem abandonados largados no mundo,já os de antigamente não,era ao contrario

8)”Liberdade” é estar totalmente livre; já “Permivissidade” é apenas ter a permissão em determinada ocasião

9)Seguro pois ele afirma isso claramente

10) a)Não pois ele não afirma de qual lado ele esta nesse meio

b)Nenhum dos dois

c)Seu sentido é de que fala sobre o sim e o não e a pergunta quem em qual dos dois está presente a felicidade

Gabriel Osaki ;)

Major Tom disse...

1-) O texto põe em discussão a mudança de atitudes e valores que ocorreu nas últimas décadas, opondo duas gerações: a geração de quarenta anos atrás, quando o narrador era jovem, e a geração dos jovens de hoje.
Observe o título do texto. Qual é a geração do "sim" e qual é a do "não"?
A geração do “sim” leva ao descontrole do filho e a geração “não” leva ao controle do filho.
2-) Nos primeiros parágrafos do texto, o autor descreve como era a educação familiar no passado. Nos parágrafos seguintes, compara-a com a educação atual. Comente as diferenças nas situações vividas pelos jovens quanto aos seguintes aspectos:

a-) horário para voltar e acesso a casa após saídas à noite;
Antigamente os jovens tinham que voltar as 10 horas em ponto
b-) dinheiro dado pelos pais;
O dinheiro dado pelos pais era para comer um sanduíche ou beber um refrigerante
c-) consumo de coisas proibidas, como cigarro,
Tantos jovens levaram tapa na boca porque o pai ao virar a esquina deu com o filho de 21 anos fumando
d-) forma de tratar os pais;
A relações entre pais e filhos eram mistos de respeito e terror, ninguém chamava o pai de você, a não ser um ou outro colega, invejado
e-) uso de palavrões na linguagem.
coisa de rua, de gente desclassificada, de marginal, de filho de lavadeira
3-)Segundo o narrador, no passado o relacionamento entre pais e filhos era difícil e autoritário, e o jovem tinha pouca liberdade. Apesar disso, o narrador, hoje, não vê apenas o lado negativo daquele tipo de relacionamento. Releia estes trechos:

• "Totalitarismo? Em parte sim, em parte não." (6º parágrafo)

• "Era ruim para nós? Era. Uma camisa-de-força, um cerco apertado constituído por nãos. Era bom? Era." (7° parágrafo)

De acordo com as idéias gerais do texto, explique:

a-) Por que era ruim aquele tipo de educação familiar?
Porque os filhos não tinham muita liberdade para fazer o que queriam.
b-) E por que era bom?
Para prevenir eles das drogas
4-) Muitas vezes, o não gerava a mentira e a hipocrisia.
Eles mentiam para conseguir o que querem
a-) Com que finalidade se mentia naquela época?
Para conseguir o que queriam sem os pais saberem
b-) Nesse contexto, mentir era bom ou ruim?
Era ruim pois eles apanhavam
5-) Segundo o texto, os jovens de hoje sabem de muitas coisas e "perguntam para os pais e professores coisas que fariam um jovem — não de 13, mas de 18 — ser expulso de casa no nosso tempo (ao menos, espera-se que não cometam erros infantis)".

Levante hipóteses: O que possivelmente são, para o narrador, "erros infantis"?
Perguntar sobre sexo e namoro

6-) No penúltimo parágrafo, o narrador opõe as angústias dos jovens de antes às dos jovens de hoje e afirma que, no passado, essas angústias eram mais bem definidas e concretas. Por que o narrador vê as angústias dos jovens atuais como mais complexas que as dos jovens do passado?
Porque os jovens do passado respeitavam os pais e os de hoje não respeitam

7-) No mesmo parágrafo, o narrador afirma que o futuro era a grande preocupação dos jovens: "Vão dar certo nossos sonhos? Era a grande pergunta, porque havia sonhos".

a-) Qual é o ponto de vista do narrador a respeito dos sonhos dos jovens atuais?
O sonho dos jovens de hoje é ganhar muito dinheiro
b-) Em contraposição aos sonhos, alimentados pela geração de antes, qual é o projeto da geração atual, segundo o narrador?
Pessoas mais atualizadas
c-) Comparada à geração atual, que qualidade o narrador vê nos jovens da sua geração?
Eles não dão ouvidos ao que os pais dizem

8-) Para o narrador, "confundiu-se liberdade com permissividade". Qual é a diferença entre elas?
Liberdade você faz o que quiser da vida e permissividade você tem permissão pra fazer tal coisa

9-) Ao afirmar "O não que nos traumatizou, nos conduziu a dizer um sim complexo para nossos filhos", o narrador revela estar seguro ou inseguro quanto ao modo como os pais de hoje têm educado os filhos?
Inseguro

10-) O texto põe em discussão duas formas de educar os filhos e, em vez de apresentar respostas na sua conclusão, termina com perguntas: "Uma geração teve o não. A outra teve o sim. Somos felizes? Nossos filhos serão?”.

a-) O narrador deixa clara sua posição sobre qual a melhor maneira de educar os jovens?
Não
b-) O fato de o texto ser encerrado com perguntas confirma ou nega sua resposta anterior?
Sim
c-) Observe o título do texto. De acordo com as idéias gerais apresentadas pelo narrador, que sentido ele tem.
Que não se deve dizer nem muito “sim” nem muito “não”