sexta-feira, 15 de agosto de 2008

6º ano (5ª série)

Seguem abaixo as questões referentes ao texto: A cidade e os bichos


Conforme combinado as respostas poderão ser postadas até terça-feira 19 de agosto.


1. O cronista inicia explicando para o leitor os motivos que o levam a retomar o assunto da última crônica.

a) Qual é o assunto retomado pelo cronista?

b) Qual o motivo de sua preocupação?


2. No segundo parágrafo, o cronista expõe o seu ponto de vista sobre o assunto.

a) O que ele defende?

b) Que exemplos da realidade urbana são empregados para confirmar o ponto de vista do cronista?


3. O cronista afirma que determinados animais recusam-se a ser expulsos da cidade, mesmo quando o ambiente lhes é desfavorável.

a) Na sua opinião, o que causa a expulsão dos animais dos grandes centros urbanos?

b) Quem pode ser o responsável pela ação de expulsar os animais da cidade?

c) Segundo o cronista, quais as conseqüências desse afastamento para as pessoas que vivem nas grandes cidades?

d) Estabeleça uma condição para que seja possível uma boa integração entre os animais e os centros urbanos.


4. O que torna o desfecho do texto surpreendente e original?


5. O que a apresentação desse fato permite concluir sobre a relação de algumas pessoas com os animais?


6. Na sua opinião, qual a importância de o cronista afirmar que n ambiente urbano há meninos que nunca viram um frango vivo e só conhecem alguns animais como personagens de desenho animado?


7. A crônica foi publicada no suplemento de uma revista que circula em um grande cetro urbano – a cidade de São Paulo. Considerando os leitores a quem o texto é dirigido, você acha adequado o assunto tratado pelo cronista?


8. O cronista expõe os argumentos de forma subjetiva (pessoal) ou de forma objetiva (impessoal)?


9. Que sentido você atribui ao subtítulo da crônica (“Esforços para tornar menos dura a vida animal na metrópole”)?

12 comentários:

Igor Gabriel disse...

1. a) Que no dia-a-dia nas cidades grandes o homem vai perdendo o contato com a natureza.
b)? Sua preocupação é que o ambiente urbano vá afastando aos poucos o homem dos animais.
2. a) Ele defende a afeição desinteressada dos homens para com animais, tanto os animais sadios ou não e o contato do homem com a natureza sem maltrata la.
b) O seu amigo que cria galinhas sem comê-las, a professora de balé que levava um cágado para passear, a gaúcha que salvou um cavalo na Avenida nove de julho e o médico que recebe animais acidentados para cuidar o resto da vida.

3. a) Em minha opinião o que causa a expulsão dos animais dos grandes centros urbanos é que muitas pessoas não tem paciência para cuidar de animais principalmente aqueles que fazem barulhos.
b) O ser humano, como os cães ferozes que estão sendo abandonados pelos seus donos.
c) As conseqüências são que alguns garotos não conhecem frangos vivos, cabritos, cavalos, bois, burricos, são seres da TV como ETs, coelhos, pica-paus e gatos são personagens falantes de desenho animado, geralmente histérico.
d) Que todas as pessoas antes de adquirir um animal tenham consciência, que teriam de ter de cuidar desse animal com carinho e que não poderão abandoná-lo em hipótese alguma.
4. O que torna o desfecho surpreendente e original é que algumas pessoas arriscam suas vidas para salvar a dos animais.
5. Apesar de existir pessoas que não gostam e não respeitam os animais e a natureza, algumas pessoas cuidam deles com amor e sem interesse como se fosse um membro da família.
6. A importância dele afirmar isso, é que assim talvez as pessoas percebam, que todos precisamos conviver o máximo possível com a natureza, para que possamos ter mais afeto, companheirismo e paciência .
7. Sim, pois esta crônica pode ensinar muitas coisas, para as pessoas em relação aos animais e a natureza.
8. De forma subjetiva.

9. Eu acho adequado, pois o cronista fala sobre os esforços que algumas pessoas fazem para os animais terem uma vida menos dura na metrópole.

Anônimo disse...

1. O cronista inicia explicando para o leitor os motivos que o levam a retomar o assunto da última crônica.

a) Qual é o assunto retomado pelo cronista?
Sobre o carinho do dono pelo cachorro.
b) Qual o motivo de sua preocupação?
Pois os animais estão sumindo.

2. No segundo parágrafo, o cronista expõe o seu ponto de vista sobre o assunto.

a) O que ele defende?
Ele defende os animais, pois o ambiente urbano foi afastando aos poucos dos homens e dos animais.
b) Que exemplos da realidade urbana são empregados para confirmar o ponto de vista do cronista?
A morte dos animais.

3. O cronista afirma que determinados animais recusam-se a ser expulsos da cidade, mesmo quando o ambiente lhes é desfavorável.

a) Na sua opinião, o que causa a expulsão dos animais dos grandes centros urbanos?
A poluição e os maus tratos.
b) Quem pode ser o responsável pela ação de expulsar os animais da cidade?
O homem.
c) Segundo o cronista, quais as conseqüências desse afastamento para as pessoas que vivem nas grandes cidades?
Elas ficam sem seus animais.
d) Estabeleça uma condição para que seja possível uma boa integração entre os animais e os centros urbanos.
O respeito sobre eles.

4. O que torna o desfecho do texto surpreendente e original?
O caso da jovem gaúcha que, em cena sensacional, parou o trânsito para salvar o cavalo.

5. O que a apresentação desse fato permite concluir sobre a relação de algumas pessoas com os animais?
O amor de algumas pessoas com os animais.

6. Na sua opinião, qual a importância de o cronista afirmar que no ambiente urbano há meninos que nunca viram um frango vivo e só conhecem alguns animais como personagens de desenho animado?
Quer dizer que os bichos estão marrendo tanto, que tem gente que nem conhessem um frago vivo, só morto.

7. A crônica foi publicada no suplemento de uma revista que circula em um grande cetro urbano – a cidade de São Paulo. Considerando os leitores a quem o texto é dirigido, você acha adequado o assunto tratado pelo cronista?
Sim, pois mostra a realidade.

8. O cronista expõe os argumentos de forma subjetiva (pessoal) ou de forma objetiva (impessoal)?
Objetiva, pois várias pessoa pensam dessa maneira.

9. Que sentido você atribui ao subtítulo da crônica (“Esforços para tornar menos dura a vida animal na metrópole”)?
Para o animal viver feliz.
Otávio

Anônimo disse...

1. O cronista inicia explicando para o leitor os motivos que o levam a retomar o assunto da última crônica.

a) Qual é o assunto retomado pelo cronista?
Sobre o carinho do dono pelo cachorro.
b) Qual o motivo de sua preocupação?
Pois os animais estão sumindo.

2. No segundo parágrafo, o cronista expõe o seu ponto de vista sobre o assunto.

a) O que ele defende?
Ele defende os animais, pois o ambiente urbano foi afastando aos poucos dos homens e dos animais.
b) Que exemplos da realidade urbana são empregados para confirmar o ponto de vista do cronista?
A morte dos animais.

3. O cronista afirma que determinados animais recusam-se a ser expulsos da cidade, mesmo quando o ambiente lhes é desfavorável.

a) Na sua opinião, o que causa a expulsão dos animais dos grandes centros urbanos?
A poluição e os maus tratos.
b) Quem pode ser o responsável pela ação de expulsar os animais da cidade?
O homem.
c) Segundo o cronista, quais as conseqüências desse afastamento para as pessoas que vivem nas grandes cidades?
Elas ficam sem seus animais.
d) Estabeleça uma condição para que seja possível uma boa integração entre os animais e os centros urbanos.
O respeito sobre eles.

4. O que torna o desfecho do texto surpreendente e original?
O caso da jovem gaúcha que, em cena sensacional, parou o trânsito para salvar o cavalo.

5. O que a apresentação desse fato permite concluir sobre a relação de algumas pessoas com os animais?
O amor de algumas pessoas com os animais.

6. Na sua opinião, qual a importância de o cronista afirmar que no ambiente urbano há meninos que nunca viram um frango vivo e só conhecem alguns animais como personagens de desenho animado?
Quer dizer que os bichos estão marrendo tanto, que tem gente que nem conhessem um frago vivo, só morto.

7. A crônica foi publicada no suplemento de uma revista que circula em um grande cetro urbano – a cidade de São Paulo. Considerando os leitores a quem o texto é dirigido, você acha adequado o assunto tratado pelo cronista?
Sim, pois mostra a realidade.

8. O cronista expõe os argumentos de forma subjetiva (pessoal) ou de forma objetiva (impessoal)?
Objetiva, pois várias pessoa pensam dessa maneira.

9. Que sentido você atribui ao subtítulo da crônica (“Esforços para tornar menos dura a vida animal na metrópole”)?
Para o animal viver feliz.
Sávio

juliana disse...

Conforme combinado as respostas poderão ser postadas até terça-feira 19 de agosto.


1. O cronista inicia explicando para o leitor os motivos que o levam a retomar o assunto da última crônica.

a) Qual é o assunto retomado pelo cronista?
Ele queria deixar claro que a humanidade não só é ingrata com os bichos, mas que também é muito dedicada e carinhosa com os mesmos.
b) Qual o motivo de sua preocupação?
que os bichos sumam de vez da vida e da rotina humana.

2. No segundo parágrafo, o cronista expõe o seu ponto de vista sobre o assunto.

a) O que ele defende?
Os animais estão se distanciando cada vez mais de sua cidade de origem.
b) Que exemplos da realidade urbana são empregados para confirmar o ponto de vista do cronista?
Alguns animais que se recusam á sair da cidade.

3. O cronista afirma que determinados animais recusam-se a ser expulsos da cidade, mesmo quando o ambiente lhes é desfavorável.

a) Na sua opinião, o que causa a expulsão dos animais dos grandes centros urbanos?
As pessoas não gostam mais de ter convivência com um animal desse porte, apenes animais domésticos, como cachorros, gatos e etc.
b) Quem pode ser o responsável pela ação de expulsar os animais da cidade?
Nós mesmos.
c) Segundo o cronista, quais as conseqüências desse afastamento para as pessoas que vivem nas grandes cidades?
A cidade vai ficar sem nenhum animal.
d) Estabeleça uma condição para que seja possível uma boa integração entre os animais e os centros urbanos.
Com o conhecimento de cada animal e que colocassem apenas animais mais mansos que não possam fazer mal á população, pois assim, as pessoas não teriam medo e se aproximariam deles tendo assim, uma convivência melhor e sem prejuízo para a natureza.
4. O que torna o desfecho do texto surpreendente e original?
Que as pessoas ainda sim defendem e arriscam suas vidas para salvar a de um animal na qual hoje nós não nos arriscaríamos, só quem realmente tem amor a um animal.

5. O que a apresentação desse fato permite concluir sobre a relação de algumas pessoas com os animais?
Um amor incondicional.

6. Na sua opinião, qual a importância de o cronista afirmar que n ambiente urbano há meninos que nunca viram um frango vivo e só conhecem alguns animais como personagens de desenho animado?
Porque há pessoas que vivem afastadas da cultura, da natureza, uma pessoa que vive afastada do mundo real.

7. A crônica foi publicada no suplemento de uma revista que circula em um grande cetro urbano – a cidade de São Paulo. Considerando os leitores a quem o texto é dirigido, você acha adequado o assunto tratado pelo cronista?
Sim. Pois é um assunto de interesse de todos.

8. O cronista expõe os argumentos de forma subjetiva (pessoal) ou de forma objetiva (impessoal)?
Subjetiva.

9. Que sentido você atribui ao subtítulo da crônica (“Esforços para tornar menos dura a vida animal na metrópole”)?
Eu não consegui muita relação entre o texto, pois ele não fala de nenhum esforço que deveríamos fazer apenas fala sobre pessoas que o fizeram.
Julyana Paula - 5ªsérie

Kamila disse...

1.A )O assunto retomado pelo cronista é como a humanidade maltrata os animais.
B ) O motivo de sua preocupação é que aos poucos a humanidade se afastou dos animais e a falta de conhecimento sobre eles.
2. A ) Ele defende a natureza.
B ) Meninos nunca viram um frango vivo,só o conhecem como um item das compras de supermercado;cabritos,cavalos,bois e burricos são seres de televisão ;para muitas crianças bichos como coelhos ,gato e pica-pau são personagens falantes de desenho animado .
3. A)O que causa a expulsão dos animais dos centros urbanos são o seqüestro para os venderem,a falta de comida necessária,o maltrato.
B ) O homem.
C )As conseqüências é que as pessoas perdem o contato com os animais,não sabendo como são.
D )Para uma melhora dessa condição necessita de árvores frutíferas, uma melhora do comportamento entre seres humanos e animais.
4. O que torna o desfecho do texto assim é que uma mulher quis salvar o coitado do cavalo que estava no meio de carros correndo risco de vida.
5.permite nos concluir que ainda temos pessoas no mundo boas que gostam de animais.
6.A importância é que deu para se perceber que com a modernidade e o crescimento das cidades fez com que crianças perdessem o contato com os animais e só o conhecessem como desenho animado.
7.Sim pois talvez assim as pessoas coloquem em suas cabeças que é necessário ter o contato com os animais.
8.De subjetiva (pessoal).
9.No sentido de melhorar o tratamento que o ser humano tem com o animal nas grandes cidades.
Kamila 6º ano

Hugo disse...

1-a- O assunto é sobre os animais como ele falou no texto anterior.
b- Que hoje as pessoas se afastam mais dos animais com que viviam.
2-a- Ele defende os animais e que eles foram afastados dos centros u rbanos.
b- Que muitas crianças nunca viram um frango vivo, só no supermercado para comprar. Cabritos , cavalos e bois são hoje itens de televisão, como ETs.
3-a- A grande poluição não somente do ar mas como de rios.
b- Os homens e se não se concientizarem as coisas só vem a piorar e o animais serem totalmente expusos de centros urbanos.
c- Grande compahia
d- Não deixar essas pessoas que maltratam animais fazerem mais isso.
4- A história da gaúcha e do cavalo, que mostra o amor da mulher pelos animais.
5- Algumas cuidam muito bem e amam os animais; Já outras pessoas maltratam e ignoram os animais.
6- Mostra que as pessoas não tão nem ai para os animais nem se quer viram um de verdade.
7- Sim, acho pois sem os animais não vivemos, são deles nossos alimentos como o leite, a carne, o frango.
8- Impressoal.
9- O subtítulo diz que a vida dos animais na metrópole é muito dura então ele tenta ajudar-nos no texto.

Anônimo disse...

1- a) O assunto retomado pelo cronista é a “ expulsão” de animais do se habitat natural, ou seja tem muitas pessoas, que nos dias atuais, apenas vêem animais mortos em sua mesa, para comer, nem se quer conhecem como eles vivem no campo.

b)Os animais vão entrar em extinção, os homens vão destruir a natureza.


2- a)Ele defende todos os tipos de animais, ele critica o homem porque realmente ele vai acabar com a natureza.

b)A poluição, no dia-a-dia nós vemos os pássaros principalmente, vivendo nas cidades praticamente morrendo.

3-
c)De um certo modo as pessoas acabam matando os animais.

d)Para que haja uma boa integração há uma única palavra que descreva CONSCIENTIZAÇÃO.

4-A nossa triste realidade.

5-Que tem umas pessoas que nem sequer vêem os animais que geralmente comem.

6-Porque nos dias atuais as crianças não têm uma relação direta com o campo.

7-Objetiva (impessoal).

8-Para que a população não veja o sofrimento dos animais, e se conscientize a ver os animais apenas no campo e não sofrendo na cidade.



Marina Cypriano Rabelo!!!5ª série

Anônimo disse...

Trabalho de Português
Aluno: Heitor Tiago Queiroz

SEXTA-FEIRA, 15 DE AGOSTO DE 2008
6º ano (5ª série)
Seguem abaixo as questões referentes ao texto: A cidade e os bichos


Conforme combinado as respostas poderão ser postadas até terça-feira 19 de agosto.


1. O cronista inicia explicando para o leitor os motivos que o levam a Retomar o assunto da última crônica.

a) Qual é o assunto retomado pelo cronista?
A vida dos animais.
b) Qual o motivo de sua preocupação?
Que as pessoas estão perdendo o contato com os animais.
2. No segundo parágrafo, o cronista expõe o seu ponto de vista sobre o assunto.

a) O que ele defende?
Que os animais estão desaparecendo.
b) Que exemplos da realidade urbana são empregados para confirmar o ponto de vista do cronista?
Que hoje em dia agente quase não conhece mais os animais.

3. O cronista afirma que determinados animais recusam-se a ser expulsos da cidade, mesmo quando o ambiente lhes é desfavorável.
sim
a) Na sua opinião, o que causa a expulsão dos animais dos grandes centros urbanos?
O barulho, o ambiente, o desmatamento.
b) Quem pode ser o responsável pela ação de expulsar os animais da cidade?
O próprio homem.

c) Segundo o cronista, quais as conseqüências desse afastamento para as pessoas que vivem nas grandes cidades?
As criança vão deixando de conhecer a natureza, em especial os animais.
O amor pelos animais.
d) Estabeleça uma condição para que seja possível uma boa integração entre os animais e os centros urbanos.
Criação de zoológicos.

4. O que torna o desfecho do texto surpreendente e original?
Que é tudo realidade o que ele conta.

5. O que a apresentação desse fato permite concluir sobre a relação de algumas pessoas com os animais?
Que cada dia que passa conhecimentos dos animais fica mais distante das pessoas.

6. Na sua opinião, qual a importância de o cronista afirmar que n ambiente urbano há meninos que nunca viram um frango vivo e só conhecem alguns animais como personagens de desenho animado?
Que tem pessoas que vivem isoladas da natureza.

7. A crônica foi publicada no suplemento de uma revista que circula em um grande cetro urbano – a cidade de São Paulo. Considerando os leitores a quem o texto é dirigido, você acha adequado o assunto tratado pelo cronista?
Sim, porque trata de uma realidade

8. O cronista expõe os argumentos de forma subjetiva (pessoal) ou de forma objetiva (impessoal)?
De forma subjetiva (Pessoal).

Anônimo disse...

1.a) Os animais

b)Os animais estavam em extinção.

2.a) Que o que acontece que o ambiente urbano foi afastado aos poucos homens dos alados.

b)Que os animais estavam em extinção.

3.a) Eles se assustavam com as pessoas.

b)As pessoas e a poluição.

c) Elas ficavam com medo dos animais atacarem elas.

d)Criar um espaço para eles.

4.a)A realidade do que acontece com os animais.

5.Alguns gostam deles e pegam para cuidar.

6.Que até o futuro os animais já terão entrado em extinção e virão pela TV.

7.Sim porque isso também pode dar um alerta a todos.

8.Sim.

9.Que os animais da metrópole estão sofrendo muito.



DIEGO

Anônimo disse...

1. O cronista inicia explicando para o leitor os motivos que o levam a retomar o assunto da última crônica.

a) Qual é o assunto retomado pelo cronista?
O do texto passado. Que se chama Mila.

b) Qual o motivo de sua preocupação?

Que ela possa ter deixado uma impressão de que a humanidade é ingrata, maltrata os animais, ou não paga amor com amor.

2. No segundo parágrafo, o cronista expõe o seu ponto de vista sobre o assunto.

a) O que ele defende?

Que a humanidade está ficando muito afastada da natureza.

b) Que exemplos da realidade urbana são empregados para confirmar o ponto de vista do cronista?

Que as pessoas não conhecem mais os animais, somente por TV.

3. O cronista afirma que determinados animais recusam-se a ser expulsos da cidade, mesmo quando o ambiente lhes é desfavorável.

a) Na sua opinião, o que causa a expulsão dos animais dos grandes centros urbanos?

A destruição dos seus habitais naturais .

b) Quem pode ser o responsável pela ação de expulsar os animais da cidade?

A humanidade.

c) Segundo o cronista, quais as conseqüências desse afastamento para as pessoas que vivem nas grandes cidades?

Muitos se tornam animais domésticos.

d) Estabeleça uma condição para que seja possível uma boa integração entre os animais e os centros urbanos.

Que criasse uma reserva natural.

4. O que torna o desfecho do texto surpreendente e original?

Pois a cronista ama os animais e que o animal estava apenas assustado

5. O que a apresentação desse fato permite concluir sobre a relação de algumas pessoas com os animais?
Que algumas pessoas ainda amam os animais.


6. Na sua opinião, qual a importância de o cronista afirmar que n ambiente urbano há meninos que nunca viram um frango vivo e só conhecem alguns animais como personagens de desenho animado?

Pois nos conscientiza a mudar e conhecer o mundo.

7. A crônica foi publicada no suplemento de uma revista que circula em um grande cetro urbano – a cidade de São Paulo. Considerando os leitores a quem o texto é dirigido, você acha adequado o assunto tratado pelo cronista?

Sim, assim muitos percebem quanto estão perdendo.

8. O cronista expõe os argumentos de forma subjetiva (pessoal) ou de forma objetiva (impessoal)?

Pessoal.

9. Que sentido você atribui ao subtítulo da crônica (“Esforços para tornar menos dura a vida animal na metrópole”)?

Que a vida dos animais é muito difícil.

Eduardo

Anônimo disse...

1)O cronista inicia explicando para o leitor os motivos que o levam a retomar o assunto da última crônica.

a) Qual é o assunto retomado pelo cronista?
Do texto passado. Que se chama Mila
b) Qual o motivo de sua preocupação?
Que ela possa ter deixado a impressão de que a humanidade é ingrata, maltrata os animais, e não paga amor com amor.

2. No segundo parágrafo, o cronista expõe o seu ponto de vista sobre o assunto.

a) O que ele defende?
Que as pessoas estão se afastando da natureza.
b) Que exemplos da realidade urbana são empregados para confirmar o ponto de vista do cronista?
Que as crianças não conhecem os animais mas sim pela televisão

3. O cronista afirma que determinados animais recusam-se a ser expulsos da cidade, mesmo quando o ambiente lhes é desfavorável.

a) Na sua opinião, o que causa a expulsão dos animais dos grandes centros urbanos?
O trânsito
b) Quem pode ser o responsável pela ação de expulsar os animais da cidade?
Os humanos
c) Segundo o cronista, quais as conseqüências desse afastamento para as pessoas que vivem nas grandes cidades? A destruição das matas.

d) Estabeleça uma condição para que seja possível uma boa integração entre os animais e os centros urbanos.

Que fizessem uma área especifica para os animais.
4. O que torna o desfecho do texto surpreendente e original?


5. O que a apresentação desse fato permite concluir sobre a relação de algumas pessoas com os animais?
Os animais se assustam com o barulho

6. Na sua opinião, qual a importância de o cronista afirmar que n ambiente urbano há meninos que nunca viram um frango vivo e só conhecem alguns animais como personagens de desenho animado?
Que eles nunca saíram da cidade.

7. A crônica foi publicada no suplemento de uma revista que circula em um grande cetro urbano – a cidade de São Paulo. Considerando os leitores a quem o texto é dirigido, você acha adequado o assunto tratado pelo cronista?
Sim, pois é um assunto muito importante.

8. O cronista expõe os argumentos de forma subjetiva (pessoal) ou de forma objetiva (impessoal)?Pessoal


9. Que sentido você atribui ao subtítulo da crônica (“Esforços para tornar menos dura a vida animal na metrópole”)? Que a vida dos animais é muito difícil.
Marcus Vinícius

Layanne Lara disse...

1)a)o que os alunos mais estranhavam foram o jeito que Rodrigo falava.

b) em outro estado brasileiro, porque se fosse no Rio Grande do Sul todos falavam como Rodrigo.

2)porque o gordo Jorge tinha inveja, de não poder falar de outro jeito igual a Rodrigo.





3)A) Porque ele estava falando do jeito dele e a professora corrigiu o garoto.

4)A)Ela foi traduzindo e conseguiu entender o que tinha acontecido com o pai de Rodrigo



B) A origem de pechada no português é bater.

5)a) No lugar de “tu” ela usaria “você”
No lugar de “sinaleira” ela usaria “semáforo”
No lugar de “auto” ela usaria “automóvel”

b) Com as usadas pela a professora, pois estou no Sudeste e não no Sul

6) Não, nunca presenciei numa situação como essa, todos respeitam o jeito que eu falo e eu respeito o jeito que eles f